Você sabia que deve avisar seu gato sempre que for sair de casa?

Você sabia que deve avisar seu gato sempre que for sair de casa?

Provavelmente, você não pensa duas vezes quando deixa seu gato sozinho em casa para dar início a um longo dia de trabalho. Assim como para um fim de semana prolongado de férias.

Muitos podem pensar que basta contratar um “pet sitter”, deixar bastante comida e água para os bichinhos, e estão prontos para ir embora. 

Embora os gatos possam estar mais equipados do que os cães para lidar com um longo período, sozinhos. É importante não superestimar as habilidades de enfrentamento do seu gato. Sobretudo por serem animais sociais e perceberem quando você está prestes a se afastar.  

Entretanto, todo mundo já ouviu o conselho: “ignore seu gato ao sair de casa e ao voltar”. A explicação é que despedidas longas e animadas podem causar ansiedade de separação. E que, se você não fizer alarido, o gato aprenderá que suas idas e vindas não é grande coisa.

Porém, um novo estudo sugere que, na verdade, ignorá-lo provavelmente não é a maneira ideal de se despedir.

Afinal os gatos não são tão independentes quanto pensávamos

“Os gatos podem se sentir solitários quando seus tutores se ausentam por períodos mais ou menos longos ​​de tempo”. Disse, em entrevistas, o Dr. Marci L. Koski, consultor certificado em comportamento felino e fundador da Feline Behavior Solutions. “Os gatos não são tão independentes quanto as pessoas historicamente pensaram que eles fossem.” 

Na verdade, a pesquisa mostrou que os gatos se relacionam com seus donos ativamente. Eles se sentem mais seguros e protegidos quando seus donos estão por perto. E podem até sentir estresse e ansiedade relacionados à separação quando você se ausenta. 

Se o seu gato não chegar perto quando você chamá-lo, isso não significa necessariamente que ele está ignorando você. Pode ser que ele esteja reagindo de forma não verbal e você simplesmente não esteja percebendo.

Os gatos não têm habilidades cognitivas para interpretar a linguagem humana. Mas eles reconhecem quando você fala com eles. 

Os gatos podem não processar a linguagem humana da mesma forma que os humanos. Porém, estudos mostram que os gatos reconhecem e, em alguns casos, respondem a vocalizações, gestos e expressões humanas. Se eles tiverem vontade. É claro!

Ninguém sabe ao certo qual rotina funciona melhor para a maioria dos gatos. Pois, uma ampla pesquisa ainda não foi feita.

No entanto, alguns pequenos experimentos sugerem que acariciar um gato enquanto se fala suavemente ao sair de casa resulta em um animal de estimação mais calmo. Com menor frequência cardíaca e menor nível de cortisol (o hormônio do estresse).

Os gatos e a solidão

Embora possa ser difícil de identificar se um gato se sente sozinho. A solidão severa e a ansiedade da separação podem causar bagunça na casa. Ou outras mudanças de comportamento em resposta ao estresse, segundo a Dra. Heather Graddy, veterinária e consultora de comportamento felino. 

O tédio pode ser outro problema para os gatos, e os filhotes são especialmente propensos a isso. Sem nada para fazer e sem companhia o dia todo, um gato entediado pode simplesmente encontrar seus próprios meios de se divertir. Pode ser desde rebatendo um rolo de papel higiênico até destruindo suas plantas domésticas.

Para manter o seu gato longe de problemas e sem ansiedade, é importante saber por quanto tempo você pode deixá-lo sozinho. E também, como se afastar dele adequadamente.

Cada gato é único, mas a maioria dos gatos adultos saudáveis ​​pode ser deixada sozinha durante um dia de trabalho de em média oito horas. No entanto, se você está fora de casa regularmente de 10 a 12 horas por dia e não tem muito tempo para ficar com seu gato, ele pode precisar de cuidados extras. 

Ao viajar, certifique-se de que alguém possa verificar seu gato diariamente. Para reabastecer água e comida, cuidar da caixa sanitária e dar-lhe atenção.

Contrate um “pet sitter”, se possível. Já que esses profissionais costumam ser mais responsáveis ​​e preparados no caso de uma emergência. 

Antes de sair, dê alguma atenção ao seu gato. E evite os erros mais comuns que os “pais” de animais de estimação cometem quando deixam seus gatos sozinhos em casa. Veja alguns:

Não desligue a TV ou o rádio 

Alguns gatos gostam de assistir à TV e outros podem encontrar conforto em ouvir música clássica relaxante enquanto você está fora.

Para um gato facilmente estressado, um pouco de entretenimento, em um volume bastante baixo, pode ajudar a manter a ansiedade sob controle até você retornar. Ou até que outro cuidador chegue.

Não deixe comida em excesso  

Você deseja que seu gato tenha acesso a uma quantidade razoável de comida enquanto você estiver fora. Mas, se você colocar toda a comida de um fim de semana na tigela, ele pode comer demais e ficar doente. Ou ficar sem comida no último dia de sua viagem.

Em vez disso, peça a alguém para alimentá-lo de acordo com sua programação regular. Distribuindo lanches dentro de vários brinquedos de comida e esconderijos.

Uma espécie de “caça ao tesouro” manterá seu gato ocupado e garantirá que ele também não coma demais de uma vez só.

Não feche suas cortinas 

Essa é outra tarefa simples que pode fazer a diferença. Fechar as cortinas pode manter sua conta de luz barata e impedir que estranhos olhem para dentro. Mas não é muito produtivo para o seu gato.

Para muitos gatos, olhar pela janela pode ser uma fonte infinita de entretenimento. Se o seu gato adora observar pássaros ou tomar sol, deixe algumas das cortinas abertas para ele.

Não guarde os brinquedos

É tentador guardar tudo antes de deixar seu gato sozinho. Pois, é ótimo voltar para uma casa limpa. No entanto, seu gato precisa de um ambiente enriquecido com diversão enquanto você está fora.

Um gato entediado encontrará suas próprias fontes de entretenimento. E você poderá não gostar nada disso.

Por isso, deixe disponíveis alguns brinquedos que você sabe que vão empolgar seus gatos. E coloque-os em áreas que eles visitam ao longo do dia.

Você também pode instruir o “pet sitter” de seu animal de estimação a fazer sessões de brincadeira interativas com seus gatos enquanto você estiver fora. E assim, garantir que eles façam algum exercício.

Apenas não deixe brinquedos com cordas por perto enquanto seus gatos não estão sendo supervisionados, pois, eles podem se asfixiar.

Um gato estressado não é divertido. Assim como não o é um dono estressado. Lembre-se de que seu gato provavelmente ficará bem enquanto você estiver fora. Desde que você o deixe em um ambiente enriquecido e com visitas regulares de outro cuidador, caso você saia de férias. 

Apesar das evidências territoriais de que seu gato é o chefe da casa, é importante conversar regularmente com ele. Fale com ele enquanto o acaricia. Enquanto você está dobrando as roupas ou na hora de dormir.

Interagir regularmente com seu gato usando vocalização e gestos positivos, como sorrir e falar em um tom de voz otimista, reforçará o vínculo entre vocês dois.

Fornecerá também informações sobre como seu gatinho usa sua própria linguagem, verbal e não verbal, para conversar com você. Embora humanos e gatos não falem a mesma língua, não há como negar a relação especial entre um “pai” de gato e seu felino.

Entre aqui e veja outras matérias do site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here