9 Sinais de que a sua falta de vontade pode ser depressão

8622
Sinais de que a sua falta de vontade pode ser depressão

Sua última série terminou, mas nem foi assim tão divertida.

Você chegou até o último episódio por pura curiosidade. Já tinha perdido o interesse há muito tempo, mas acabou seguindo para ver como tudo acabava.

Acabou mal, não valeu a pena.

Não sente fome, mas come mesmo assim, um pouco.

O que será que está acontecendo na cidade? Será que tem um bom show ou evento acontecendo? Não sei, interessa? Também não sei…

Livros, ah! Quem sabe, não sei. Não tem nada muito interessante por aí ultimamente.

Seus amigos, onde estão? Você quer conversar com eles, puxar um papo a toa, mas parece que é tanto trabalho, e tudo em vão.

Tédio é a palavra de ordem.

Às vezes, dá vontade de sair, às vezes não.

Sequências e sequências, e sequências de vídeos no Youtube.

Até os influencers que você mais gosta não têm nenhuma novidade.

Dá vontade de caçar confusão em algum post só pra ver se acontece alguma coisa.

É dia, é noite…, na verdade, que horas são? Que dia é hoje mesmo?

(…)

Já se sentiu assim alguma vez?

A vida não é um mar de rosas, mas também não é uma ponte de espinhos. Viver nem sempre é uma alegria atrás da outra, e nem deve ser, agora o oposto também não é verdadeiro.

Todo mundo carrega sua dose de tristeza. Alguns dias são de sol e outros são de chuva.

Mas às vezes, ficamos tanto tempo na chuva que acabamos nos acostumando com as roupas molhadas, a água no rosto, o frio no corpo.

Acostumamo-nos tanto que acabamos perdendo a noção e não sabemos mais diferenciar a tristeza normal, da vida com uma dificuldade anormal em ter alegria.

Com o tempo acabamos interpretando tudo o que acontece como normal, pior ainda, banal.

Sofrer passa a ser banal.

Chorar passa a ser banal.

Não ter alegria passa a ser banal.

Amor sem correspondência passa a ser banal.

Ser maltratada ou maltratado passa a ser banal.

Viver em condições precárias, passa a ser banal.

Conviver com gente tóxica passa a ser banal.

A vida torna-se banal.

Só um exemplo para demonstrar a nossa enorme capacidade de nos adaptar às situações mais absurdas: quando mulheres que são vítimas de violência doméstica por longos períodos são questionadas se seu relacionamento era bom, boa parte delas responde que sim, mesmo com os maus tratos.

Quer seja por vergonha, vontade de proteger o agressor ou ganhos distorcidos pela situação de violência doméstica, elas respondem que seu relacionamento era satisfatório e que brigas é coisa normal de qualquer relacionamento.

Recomendamos:  Esta fruta milagrosa tem alta concentração de vitamina C e preserva a saúde

Portanto, é muito importante para sua saúde mental e física, certa vigilância quanto a tristeza da vida.

Não devemos aceitar de olhos fechados tudo o que acontece, muito menos tentar fazer parecer normal, situações que nos causam danos, psicológicos, físicos ou espirituais.

“Não é sinal de saúde, estar bem-adaptado a uma sociedade doente”

Jiddu Krishnamurti

E, algumas vezes, confundimos depressão com a tristeza natural da vida.

A tristeza comum é chamada de melancolia. Ela existe em todos e normalmente está ligada às situações que vivenciamos que não são agradáveis ou não atendem nossas expectativas.

Já a depressão é uma tristeza sistemática que aleija a vontade de viver, da pessoa.

Andrew Solomon a descreve em seu livro “O Demônio do Meio Dia”:

“A depressão é a imperfeição no amor. Para poder amar, temos que ser capazes de nos desesperarmos ante as perdas, e a depressão é o mecanismo desse desespero. Quando ela chega, destrói o indivíduo e finalmente ofusca sua capacidade de dar ou receber afeição. Ela é a solidão dentro de nós que se torna manifesta e destrói não apenas a conexão com outros, mas também a capacidade de estar em paz consigo mesmo”.

Portanto, acreditando em nossa poderosa capacidade de nos adaptarmos às situações mais absurdas e da existência da depressão, trouxemos alguns pontos para você refletir.

Pense nos pontos que serão descritos abaixo, e procure dentro de si as respostas. Pode ser que seu desânimo sistemático seja depressão disfarçada:

As tarefas mais simples ficam difíceis demais

Quando aquilo que você faz com facilidade fica difícil, é importante pensar se não há nada que não esteja percebendo e que possa atrapalhar sua concentração.

Se você é bom cozinheiro (a) e não consegue mais fazer sua comida com facilidade ou as receitas saem ruins, uma atrás da outra, é preciso pensar se existem fatores passageiros ou se algo maior está tirando você dos trilhos.

Dificuldade de extrair prazer de qualquer atividade — vida perde o gosto

Seus hobbies ficam chatos, coisas que você gostava de fazer parecem agora entediantes, comidas que você sempre gostou perdem o gosto, aquele parceiro ou parceira está enjoado.

Quando aquilo que normalmente te faz sentir bem, pára de te proporcionar prazer, principalmente de forma repentina, pode ser sinal de que as coisas não estão muito bem dentro de você.

Recomendamos:  Não durma com o cabelo molhado se quer acabar com a caspa

Ausência de fome e/ou sede

Passar longos períodos de fome ou sede sem ter a vontade de se alimentar também é algo a se pensar.

Simbolicamente falando, ingerir alimentos e água é a forma física de viver. Não comer é um ato contrário à vida, contrário à nutrição, contrário à existência.

Muito sono

O corpo precisa de intervalos de sono que variam de 4 a 10 horas, dependendo do organismo.

Quando você dorme, dorme e dorme e, mesmo assim, continua com sono ou tem a sensação que nem mesmo o sono noturno consegue “matar seu sono” esse pode ser um mau sinal.

O sono é um conhecido mecanismo de defesa e uma forma de fugirmos do “mundo real” para o “mundo dos sonhos”.

Sensação de corpo pesado e de “um balão” na cabeça

Uma sensação de letargia e corpo pesado. Ter a impressão de que, ao se levantar, você parece estar levantando um peso muito maior do que o seu. Sentimento de estar “carregando um elefante nas costas”. Vontade de ficar deitado muito tempo mesmo sem sono, no sofá ou cama. Andar “arrastado” pela casa ou evitar deslocar-se pela casa.

Ao mesmo tempo, ter a sensação de um “balão na cabeça”. Pensamentos dispersos, atenção dispersa. Se distrai com facilidade, não se lembra o que estava fazendo ou do que estava falando. Dificuldade de se concentrar em qualquer tarefa ou atividade.

Essas sensações podem estar associadas a quadros de depressão se forem persistentes.

Isolamento social

Pouca vontade de interagir com as pessoas, principalmente as conhecidas. Ficar dizendo que está sempre bem e que está tudo certo mesmo quando você sente que não estão.

Evitar encontros, mensagens, atividades em grupo. Querer ficar em casa ou no quarto o tempo inteiro. Inventar desculpas para não sair ou não encontrar seus queridos. Evitar contatos, abraços, comunicação.

Isolar-se, voluntariamente, esquivar-se de conversas, fingir que tem compromissos, não atender ligações ou não ligar para pessoas que estima.

Atitudes que provocam ou procuram manter você isolado de pessoas, ou grupos dos quais faz parte, ou gosta.

Sentimento de Solidão Pungente

Quando experimenta um sentimento de solidão muito forte que às vezes, pode ser percebida fisicamente no corpo.

Sentimento de estar só na multidão, de que as pessoas não te compreendem, de que te subestimam ou que nunca poderiam entender o que passa na sua cabeça. De que seus sentimentos são únicos e impossíveis de serem compartilhados ou entendidos.

Recomendamos:  8 Benefícios da urtiga para a saúde e como usar

Sentimentos de que ninguém te considera ou de que as pessoas não gostam de você. Duvidar do amor que outros nutrem por você, acusar as pessoas de se afastarem o tempo inteiro.

Sensação de ser entediante, de não saber interagir ou ser má companhia.

Uma intricada rede de sentimentos de menos valia.

Baixas expectativas sobre tudo

Não esperar que seu amor seja correspondido, não amar com coração inteiro. Não ter expectativas de que coisas boas vão acontecer contigo ou com qualquer pessoa.

Não sentir raiva, frustração ou qualquer outro sentimento “negativo” quando seus planos dão errado. Achar que o mundo é assim, que as pessoas são infelizes e que tudo vai dar errado de qualquer forma, então por que tentar.

Não se aborrecer quando alguém te machuca física ou verbalmente. Chorar em silêncio e esconder seus sentimentos, sempre que pode.

Não esperar boas coisas sobre seus relacionamentos, sobre seus amigos, pais, parentes e colegas.

Não esperar que boas coisas acontecerão no futuro. Não acreditar em um futuro positivo.

Descuido com higiene e aparência pessoal

Deixar cabelos crescerem sem cuidado. Não se depilar (se você aprecia a prática), não se barbear (se você aprecia a prática), não cortar as unhas ou não cuidar da aparência pessoal ou ganhar ou perder muito peso.

Usar a mesma roupa por 3 ou 4 dias seguidos. Não trocar os lençóis de cama, não arrumar a cama em que dorme. Deixar roupas bagunçadas e largadas por toda a casa.

Por fim, todos esses pontos são para sua reflexão.

Todo mundo passa por altos e baixos e é completamente normal fazer as coisas descritas acima, por um tempo.

Queremos que pense nesses pontos. Se você se identifica ou se percebe praticamente vários deles ao mesmo tempo, é muito importante buscar uma opinião profissional sobre seu estado de saúde mental.

Muitas vezes nos acostumamos a carregar um peso muito superior ao que conseguimos ou deveríamos carregar.

Isso nos causa danos severos, físicos e psicológicos, que podem ser evitados se prestarmos atenção aos nossos sentimentos e atitudes.

Depressão não é tristeza passageira. É um transtorno que tem diagnóstico, tratamentos eficientes e pode ser combatido com profissionalismo e eficiência.

Entretanto, o maior inimigo ainda é a desinformação, a ignorância e o preconceito.

Esperamos ter ajudado!!!

Cuide-se!!!

<<< outras matérias