Principais sintomas da Osteoporose e como prevenir a doença

Principais sintomas da Osteoporose e como prevenir a doença

A osteoporose pode causar ossos fracos e quebradiços. Os ossos podem se tornar tão frágeis que até mesmo uma pequena queda ou uma torção podem causar fratura no quadril, punho ou coluna. 

Trata-se de uma doença silenciosa: estima-se que metade de todas as mulheres na pós-menopausa e um quarto dos homens com mais de 50 anos terão pelo menos uma fratura relacionada à osteoporose.

Entretanto, pode ser facilmente detectada por um exame de varredura da densidade óssea e, felizmente, há diversos tratamentos disponíveis para tornar os ossos fortes. 

Especialmente se você tiver mais de 60 anos ou sofrer de outras doenças que podem enfraquecer os seus ossos, fique atento. Com a osteoporose, seus ossos podem ficar fracos sem que haja sintomas externos alarmantes.

Você pode não saber que tem a doença até que uma distensão ou queda faça um osso se quebrar. As quedas são especialmente perigosas para pessoas com osteoporose. Nesse caso, se você quebrar um osso, talvez precise de muito tempo para se recuperar.

 O processo de envelhecimento traz em seu rastro uma série de mudanças no corpo. À medida que ficamos mais experientes, também percebemos que nosso corpo, que antes estava sob nosso comando, não permanecerá assim por toda a vida.

À medida que os músculos enfraquecem, os olhos não enxergam mais tão bem, o cabelo fica grisalho e a pele perde o brilho; gradualmente, você pode perceber que seu corpo mudou muito.

A massa ou a densidade óssea é perdida à medida que envelhecemos. Isso acontece em homens e mulheres, mas é especialmente agravado nas mulheres após a menopausa. Os ossos perdem cálcio, vitamina D e outros minerais e começam a perder sua densidade.

Em casos extremos, eles se tornam anormalmente porosos e frágeis, extremamente suscetíveis a fraturas. Essa condição extrema é frequentemente descrita como osteoporose e pode se tornar perigosa para os idosos.

É por isso que ouvimos falar de tantas fraturas de quadril, joelho e ombro em pessoas mais velhas. Portanto, é importante compreender como a condição funciona e se agrava.

Sintomas e causas da osteoporose

O estágio inicial de perda óssea geralmente não apresenta sintomas. Mas à medida que avança, eles começam a aparecer. Os principais sintomas dessa doença são:

  • Dor persistente nas costas;
  • Dificuldade em ficar em pé por longos períodos;
  • Postura curvada;
  • Diminuição da altura;
  • Qualquer proeminência nas costas pode ser devido a vértebras fraturadas ou deslocadas;
  • Fratura óssea que pode ocorrer mais fácil e rapidamente, mesmo com o menor choque;
  • Fraqueza generalizada.

A osteoporose ocorre quando a taxa de formação óssea é menor em comparação com o desgaste causado nos ossos, seja pelo envelhecimento ou por outros fatores. As principais causas dessa doença são:

  • Perda de densidade óssea em caso de gravidez, parto e lactação;
  • Redução da geração de estrogênio;
  • Uso prolongado de corticosteroides orais em alta dosagem;
  • Condições médicas como inflamação, desequilíbrio hormonal, desnutrição e baixa absorção de cálcio pelo corpo;
  • Histórico familiar da doença, especialmente de fratura de quadril em um dos pais;
  • Uso prolongado de medicamentos que afetam a densidade óssea ou o equilíbrio hormonal;
  • Índice de massa corporal muito baixo;
  • Tabagismo e consumo de álcool;
  • Estilo de vida sedentário.

Fatores de risco para osteoporose

Os principais fatores de risco para a osteoporose são: 

  • o tabagismo;
  • o consumo de álcool;
  • a má nutrição (dieta pobre em magnésio e vitamina D);
  • baixos níveis de estrogênio, quimioterapia (que pode causar menopausa precoce, devido aos seus efeitos tóxicos nos ovários);
  • exercícios intensos;
  • anorexia;
  • artrite reumatoide;
  • doenças hepáticas;
  • imobilidade após um derrame;
  • hipertireoidismo;
  • uso prolongado de medicamentos anticonvulsivantes;
  • uso prolongado de esteroides orais.

O velho ditado de que prevenir é melhor que remediar é válido 100% no caso da osteoporose. Na verdade, a única maneira de prevenir a osteoporose é começar a fortalecer os ossos quando eles ainda são jovens. Não deixe que a perda óssea se inicie precocemente por práticas incorretas.

O melhor a fazer para evitar a osteoporose é cuidar da sua alimentação, pois é a única maneira de se manter saudável, mesmo depois dos 60 anos, aliás, é precisamente nestas idades que devemos ter o maior cuidado com a nossa saúde.

Assim você evitará os médicos e os medicamentos, que apesar de prometerem uma melhora, também trazem muitos efeitos colaterais. Por isso esteja atento ao que você come e bebe, pois, esse é o fator determinante para que você envelheça com saúde.

Se você for diagnosticado com osteoporose, seu médico irá prescrever um medicamento que é um método rápido para reduzir o risco de danificar seus ossos e melhorar sua densidade óssea. Esses medicamentos aumentam o fluxo de cálcio do sangue para os ossos. 

Porém, é muito mais fácil e benéfico prevenir com boa alimentação e exercícios, pois, uma alimentação rica em minerais e vitamina D é essencial para fortalecer seu corpo e principalmente os seus ossos. Um dos minerais essenciais para prevenir a perda óssea é o magnésio, que está presente em muitos alimentos, inclusive no sal integral.

Suplementos para osteoporose

Suplementos de cálcio e vitamina D também são recomendados para pacientes com osteoporose. A calcitonina, administrada na forma de spray nasal ou injeção, ajuda a aumentar a absorção de cálcio nos ossos.

A teriparatida, uma forma de hormônio da paratireoide, é administrada na forma de injeções para aumentar a formação óssea. Isso geralmente é recomendado por médicos em caso de osteoporose grave. 

Não se automedique; consulte seu médico e discuta suas necessidades e qual a dosagem adequada de cada um deles. A deficiência de cálcio e vitamina D pode agravar a osteoporose, embora não seja a principal e única causa.

Tome cuidado para não ingerir mais de 2.000 mg de cálcio por dia. Uma quantidade maior de cálcio no corpo também pode aumentar suas hipóteses de desenvolver pedras nos rins.

Portanto, é aconselhável que ao invés de tomar uma megadose do suplemento, ele seja tomado em duas ou três doses após as refeições, para melhor absorção.

O estrogênio é importante para manter a densidade óssea nas mulheres. Quando os níveis de estrogênio caem após a menopausa, a perda óssea acelera. Mulheres na pós-menopausa têm fatores de risco para osteoporose.

Conseguir cálcio suficiente ao longo da vida ajuda a construir e manter ossos fortes. Os médicos geralmente recomendam 1.000 mg (miligramas) de cálcio por dia para adultos que têm um risco baixo a médio de desenvolver osteoporose.

Para aqueles com alto risco de desenvolver osteoporose, como mulheres na pós-menopausa, a dose aumenta até 1.500 mg por dia. Excelentes fontes de cálcio são leite e produtos lácteos (versões com baixo teor de gordura são recomendadas), peixes com ossos como salmão e sardinha, vegetais de folhas verdes escuras, como espinafre, brócolis, cereais fortificados com cálcio, etc.

Exercícios para prevenir osteoporose

Além disso, fazer caminhadas regulares diariamente por 40 minutos com a exposição solar adequada ajuda a evitar a osteoporose em grande medida. Seu corpo precisa de vitamina D para absorver cálcio.

Para obter uma cota adequada de vitamina D para o seu corpo, você deve obter no mínimo 20 minutos de luz solar. Além de tomar sol, opte por alimentos como ovos, peixes gordurosos como salmão, cereais e leite fortificados com vitamina D.

A maioria dos exercícios recomendados por profissionais de saúde para a prevenção da osteoporose são exercícios de treinamento de resistência, como agachamento e flexões.

Além disso, exercícios de alto impacto como corrida, aeróbica e esportes são recomendados como parte de um programa de condicionamento físico para toda a vida. É importante saber que você deve iniciar essas rotinas de exercícios cedo na vida para evitar totalmente a osteoporose.

Se, no entanto, você já passou dos 50 anos e está iniciando um programa de exercícios pela primeira vez, consulte um profissional de saúde para elaborar o programa adequado.

A perda excessiva de peso também acelera a perda óssea, portanto, causa osteoporose. Além disso, por outro lado, a redução de peso pode levar à osteoporose em idade precoce.

Portanto, é importante que você esteja atento para não fazer dieta a um nível em que seu peso fique abaixo dos limites desejados. A melhor opção é misturar dieta com exercícios para proteger os ossos.

A carência de cálcio em nossos ossos é um processo natural que ocorre com o envelhecimento. Os especialistas explicam que o corpo é projetado de forma que os ossos se tornem porosos quando os níveis de estrogênio caem, especialmente em mulheres após a menopausa.

Mas a osteoporose também pode ocorrer em homens, geralmente depois dos 60 anos, quando os níveis de testosterona caem.

O osso é uma estrutura viva que se mantém saudável por conta do cálcio, do magnésio que leva o cálcio para os ossos e da vitamina D. O nível de cálcio que precisa ser mantido na corrente sanguínea é extraído dos alimentos que comemos ou de nossos ossos.

Quando a dosagem hormonal decai, a perda óssea acelera e o desequilíbrio criado enfraquece a densidade óssea. Essa condição clínica é a osteoporose, que pode ser revertida com uma dieta adequada e exercícios regulares.

Mas, quando negligenciada, ela progride silenciosamente, dificultando os movimentos diários e colocando você em risco de fraturas, por isso previna-se e cuide da sua alimentação.

Entre aqui e veja outras matérias sobre saúde do site sinais de luta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here