Use a carqueja para melhorar a saúde e combater reumatismo e artrite

Use a carqueja para melhorar a saúde e combater reumatismo e artrite

No passado, a carqueja era tradicionalmente recolhida e seus gravetos eram utilizados, secos, como pavio para acender fogueiras. No século XIX, ela era cultivada nos condados ingleses especialmente para esse fim, por isso era muito popular entre os padeiros, a quem era vendida como combustível para seus fornos. 

Sua casca e suas flores produzem uma tinta amarela que já foi muito utilizada para tingir tecidos. Na Irlanda, as flores também eram usadas para dar sabor e dar cor ao uísque, e os dinamarqueses costumavam usá-las para fazer cerveja; elas também podem ser usadas ​​para fazer chá e vinho.

Botões de flores de carqueja colhidos e preparados ​​com alguns grãos de pimenta, em uma solução de vinagre de vinho branco e sal, funcionam bem como um tempero – que, além de saboroso, tem propriedades digestivas.

Indicações terapêuticas da carqueja

Como resultado de testes clínicos, ficou-se sabendo que a carqueja tem muitas propriedades curativas úteis. Na Ucrânia, suas flores e folhas são usadas no tratamento da asma brônquica. Nos EUA, flores e sementes são utilizadas no tratamento de tumores malignos. Também é usada para curar as doenças da tireoide. 

As preparações que contêm carqueja são utilizadas como vasodilatadoras e antibacterianas, hemostáticas, diuréticas, laxantes e até sedativas. Os princípios ativos da carqueja fazem parte dos supositórios para hemorroidas.

Infusões e decocções de carqueja tratam malária e sangramentos uterinos. A partir das raízes dessa planta, os diuréticos são produzidos para tratar edemas de origens renal e cardíaca.

A carqueja também é eficaz no tratamento de enxaquecas, doenças hepáticas e urinárias, condições astênicas, fraturas ósseas, reumatismo, gota e artrite. É usada no tratamento da asma brônquica e doenças de pele, como pioderma, furunculose, dermatomicoses e dermatite atópica. 

Existe um floral de Bach que é recomendado aos desesperançosos, àqueles que sentem que não podem mais ser ajudados ou que sofrem de uma doença terminal. É o floral de carqueja.

Ele ajuda a aliviar a frustração, a inquietação e o ciúme, auxiliando a promover a segurança emocional e um sentimento de profunda alegria interior.

Edward Bach foi um homeopata inglês muito atuante na década de 1930, e, segundo ele, a carqueja é para aqueles que sofreram muito e cuja coragem, por assim dizer, falhou; aqueles que não conseguem enfrentar mais as vicissitudes da vida.

As pessoas que precisam do floral de carqueja são geralmente pálidas e têm manchas bastante escuras na pele, muitas vezes abaixo dos olhos. Elas parecem precisar de mais luz do sol em suas vidas para afastar os problemas.

Mais indicações da carqueja:

  • Há relatos de que as flores são eficazes contra a icterícia. Uma infusão das flores costumava ser dada às crianças para beberem, contra a escarlatina;
  • As sementes são empregadas em remédios contra pedras nos rins e problemas nos intestinos. Elas têm propriedade adstringente, por conter tanino. Têm sido usadas no tratamento de diarreia;
  • Herbalistas antigos também disseram que, com mel, a carqueja “limpa a boca”, e que alivia picadas de cobra;
  • A planta tem uma antiga reputação de pesticida, sendo a semente usada contra pulgas;
  • Pesquisas mais recentes investigaram a atividade antifúngica dos alcaloides da carqueja, considerados um mecanismo de defesa contra patógenos. Os resultados sugerem que esses compostos têm um efeito que desencoraja a alimentação dos insetos, o que dá às plantas uma defesa contra predadores.

Apresentação da carqueja como medicamento natural:

  • A medicina natural usa tanto a parte aérea da planta, incluindo folhas, frutos e flores, quanto a sua raiz. Decocções, sumos e pomadas são preparados a partir dessa matéria-prima;
  • O caule, as folhas e as flores são usadas ​​no tratamento de enxaquecas, algumas doenças hepáticas, doenças de pele, edema, raquitismo e hipertensão;
  • A raiz e seus preparados ajudam em casos de malária e icterícia, nefrite, sangramento uterino, prisão de ventre, gota, reumatismo, artrite, e aceleram a eliminação do excesso de sal do corpo.

Receita de emplastro de carqueja para reumatismo e artrite:

Caso você esteja sofrendo com reumatismo ou artrite, pode valer-se das propriedades benéficas da carqueja em forma de emplastro.

  • 4 colheres de sopa de carqueja.
  • 500 ml de água.

Despeje a carqueja e a água em uma panela, leve ao fogo e cozinhe, com tampa, por meia hora. Após desligar o fogo, deixe esfriar por 60 minutos. Passe por uma peneira.

Transfira o “bolo” de carqueja para um pano e dobre o pano. Sem pressionar com força, aplique sobre a articulação comprometida. Espere uma hora. Você pode fazer esse procedimento até três vezes ao dia. 

Indicações “mágicas”

A natureza espinhosa da planta fez com que muitas vezes ela fosse vista como tendo poderes protetores. Diz-se que protegia as bruxas.

Hoje, a reputação da carqueja é de favorecer o amor consensual, de proteção contra o mal, de restauração da fé, esperança e otimismo. Promove a força e também atrai ouro, por isso é usada em feitiços para atrair dinheiro.

Grave o nome “carqueja” em uma vela dourada ou amarela. Vire-se para o leste, acenda a vela e medite sobre a luz. Peça proteção, dinheiro, amor, tudo o que você deseja.

No País de Gales, ramos de carqueja são usados para proteger as casas contra espíritos zombeteiros, que não conseguem penetrá-las quando as portas estão ladeadas pela planta.

Contraindicações

Tomar preparados com carqueja deve ser feito com muito cuidado, pois a planta é venenosa quando muito concentrada. Portanto, a dosagem deve ser rigorosamente observada. O envenenamento de carqueja pode causar tontura, dor de cabeça, náuseas e vômitos.

Também não é uma erva recomendada para mulheres grávidas que sofrem de doença coronariana e hipertensão.

Mas, tomando-se os devidos cuidados, a carqueja tem uma série de propriedades que a tornam uma planta medicinal muito eficaz, adequada para o tratamento de doenças variadas.

As flores de carqueja são ricas em proteínas e podem ser consumidas cruas em saladas, infundidas como chá de frutas ou em forma de xarope. Adicionam sabor e cor extra à cerveja, ao vinho e outros destilados, e seu corante é empregado em doces diversos, como chocolate e sorvete.

Os botões de carqueja podem ser conservados em vinagre e ingeridos em substituição às alcaparras.

A carqueja tem um forte efeito vasoconstritor, aliado a um efeito antibacteriano. É bastante eficaz em casos de doenças crônicas do aparelho respiratório, como bronquite e asma brônquica.

O chá de carqueja ajuda a limpar o sangue e também é utilizado no tratamento de enxaquecas, raquitismo, malária, icterícia, cistite, nefrite, algumas doenças de pele e venéreas, astenia, hemorroidas e reumatismo.

Os curandeiros tradicionais usam a ingestão de carqueja para tratar malária, asma, hepatite, prisão de ventre, sangramento uterino, hipotensão, gota, e, externamente, para remover verrugas e calosidades.

Na América, na medicina oficial, essa planta milagrosa é usada para tratar o câncer. Há técnicas menos populares, como a indicação para hipotireoidismo.

As avaliações dos tratamentos realizados com essa erva são muito boas. As pessoas notam que seu bem-estar melhora sensivelmente e a eficácia do tratamento é confirmada por análises.

A carqueja é uma planta valiosa para a vida selvagem, proporcionando uma cobertura espinhosa densa, ideal para proteger os locais de onde pássaros fazem ninhos e se alimentam.

Ela prospera em solos pobres, arenosos e pedregosos. Uma boa iluminação é obrigatória para que ela se desenvolva bem. A rega é opcional, e a carqueja pode ser podada de forma ornamental.

Por fim, mesmo com todos esses benefícios, recomendamos que você não tome nenhum tipo de medicamento, seja natural ou sintético, sem antes consultar um profissional de saúde.

Entre aqui e veja outras matérias do site sinais de luta.

Compartilhar matéria:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here