InícioComportamentoSe te faz sofrer é porque não te ama de verdade

Se te faz sofrer é porque não te ama de verdade

Lembro que, quando ainda estava na faculdade, tinha um amigo que realmente amava o amor. Ele queria a “coisa real”. Afinal, quem não gosta?

Ele colocou sua mensagem de status da AOL e falou sobre como “amor é sacrifício. “Ele era um mártir do amor e esperava que o amor o machucasse. Eu assisti enquanto ele marchava nos anos do primeiro e segundo ano, passando por desgosto após desgosto, incapaz de reconhecer os sinais do amor verdadeiro.

Na maioria das vezes, ele perseguia as garotas sobre as quais nossa camarilha o havia alertado, alegando que poderia “consertá-las com amor.“

Ele me explicaria que o amor não é real a menos que seja doloroso e que não havia melhor maneira de mostrar o quanto você se preocupa com uma pessoa do que sofrer por ela.

Por muito tempo, eu realmente acreditei nele. E então, a realidade me atingiu na forma de um relacionamento abusivo.

Não vou entrar em muitos detalhes, mas cheguei ao ponto em que estava sacrificando tudo. Se eu tivesse, eu daria a ele. Eu o deixaria gritar porque era disso que se tratava o amor, certo?

Se ele queria deixar outras pessoas me intimidarem para se sentir superior a mim, então é isso que eu o deixaria fazer.

Vale a pena, pensei, porque assim nos casaríamos e isso seria a epítome do amor.

Até, é claro, ler um livro que comprei na biblioteca. O autor do livro basicamente expôs a verdade sobre os relacionamentos no nível do casamento: eles são transações financeiras.

A autora, Liz Renay, explicou então como é importante ter certeza de que você sabia o que estava ganhando com isso.

Então, o que eu estava ganhando com meu relacionamento “amoroso”? Ele gritou comigo. Além disso, ele me disse que outro homem nunca me amaria. Ele também disse que eu era uma “prostituta impura que precisava se arrepender”.

Recomendamos:  Banho de boldo e alecrim para afastar más energias e atrair coisas boas

Recebi muito isolamento porque sua família não suportava meus amigos ou entes queridos. Ocasionalmente, ele me ameaçou ou disse que minhas crenças estavam erradas.

Realmente, tudo o que ele está causando é dor em mim. Então, o que meu então namorado estava ganhando com isso?

Eu pensei de volta. Bem, ele conseguiu sexo e encorajamento de mim. Eu dei a ele abraços e beijos. Ele me fez pagar por noites chiques.

Ele me fez nunca realmente fazer nada para machucá-lo emocionalmente. Eu era uma garota que o perdoou por coisas que realmente não são perdoáveis.

Foi então que me dei conta. Ele me teve – tudo de mim. Ele tomou, tomou e tomou. E ele nunca deu nada em troca.

Ele gostava de me machucar; estava claro que ele gostou do abuso  e saboreou cada lágrima que eu derramei enquanto tentava ser perfeita para ele. Ele estava conseguindo um pacote completo, com desculpas para seu péssimo comportamento.

Se ele tivesse me amado metade do que eu o amei – ou se ele tivesse me respeitado metade do que eu o respeito – ele nunca teria agido dessa forma.

Foi então que me ocorreu a verdade: o amor nunca é igual à dor. Se a definição de “amor” do seu parceiro dói mais do que cura, não é amor. É abuso. Se o seu relacionamento é principalmente doloroso, não é amor. É co-dependência, desespero e  medo de ficar sozinho.

O amor verdadeiro não é, e nunca será, martírio. A verdade é que não está cheio de dor.

E então, escolhi amar a mim mesma. E eu fui embora, percebendo que seria mais gentil comigo mesma do que ele nunca foi.

Foto de Abigail no Unsplash

Se você gostou desse artigo, entre aqui e descubra mais informações e curiosidades. via: readunwritten

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais populares