Parei de agradar às pessoas e isso mudou drasticamente minha vida

Parei de agradar às pessoas e isso mudou drasticamente minha vida

O tempo é a coisa mais preciosa que temos – então porque o desperdiçamos tão facilmente? Veja o que aprender a dizer “não” fez por mim.

Eu conhecia uma mulher que tinha medo de dizer às pessoas o que ela queria. Ela não sabia como dizer não. Em vez disso, ela se envolveu em uma teia de obrigações, ansiedade e mentiras inocentes. Ela era eu.

O pior é que eu nem percebi o que estava fazendo. Achei que soubesse dizer “não” – mas não conseguia me lembrar da última vez que o fiz. Como muitas pessoas, eu só queria ser aceita, apreciada, amada – e a única maneira de conseguir essas coisas, era colocar as necessidades de todos antes das minhas.

Mas recentemente, decidi que já era o suficiente. Como um experimento, comecei a me defender, mesmo correndo o risco de alienar a todos e ter toda a minha vida desabando ao meu redor. Isso não aconteceu. Aqui está o que fez:

Eu parei de dar desculpas mesquinhas

Seis meses atrás, fui convidada para servir como voluntária aos convidados e comprar ingressos para um evento social longo e enfadonho. Em vez de dizer o que sentia (prefiro comer minha própria mão), disse “OK”. E então fiquei angustiada pensando em como me livrar dessa obrigação.

Eventualmente, depois de muitas ondas de ansiedade, disse aos organizadores que estava com um forte resfriado. Não apenas perdi horas e dias me preocupando, mas provavelmente deixei essas pobres pessoas em apuros. (E eu usei uma das desculpas mais clichês de todos os tempos.)

Dizer “não” é tão mais fácil. Se alguém me pede para fazer algo em que não tenho interesse, sou educada, mas honesta.

A frase: “Sinto muito, não acho que isso seja realmente para mim”, sai da minha boca mais rápido do que uma desculpa esfarrapada.

Meus amigos e família não se importaram

Dizer não às festas era difícil. Pior, eu era culpada de julgar amigos que tinham confiança para dizer que preferiam ficar em casa. Achei que eram estranhos, anti-sociais ou simplesmente rudes – e presumi que todos os outros pensavam a mesma coisa.

Acontece que eu estava quase sempre sozinha com esses pensamentos. Quando parei de agradar às pessoas, ninguém se importou. Um bom amigo me pediu para ir tomar um café às 5 da tarde.

Eu estava planejando ir à academia e depois assistir a Mad Men pela milionésima vez. Eu disse: “Desculpe, tenho coisas que quero fazer esta noite”. Ela disse: “Tudo bem. Talvez outra hora. “Era tudo tão dolorosamente simples que tive vontade de chorar.

Eu tenho muito mais tempo “para mim”

Nunca parecia ter tempo para as coisas que realmente queria fazer. Eu gostaria de aprender espanhol, escrever mais ficção e viajar. Esses não são objetivos enormes e irrealistas.

Mesmo assim, meu jeito de agradar às pessoas reduziu drasticamente meu tempo livre para perseguir esses desejos.

Aprender a dizer “não” acrescentou várias horas extras aos meus dias, dias às minhas semanas e o que parecem meses aos meus anos. Não preciso mais deixar meus planos para ajudar um amigo em sua busca de emprego, ou reservar um fim de semana para ler um rascunho de um livro de alguém que mal conheço. Dizer “não” me libertou.

Foto de capa meramente ilustrativa: Foto de Edward Cisneros no Unsplash

Se esse artigo foi útil para si, entre aqui e descubra muito mais informações proveitosas e interessantes. via: rd

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here