InícioComportamentoMulher bate recorde após comer quantidade extrema de comida

Mulher bate recorde após comer quantidade extrema de comida

Mimi Zhang é pequena, mas bateu um recorde ao comer uma quantidade extrema de tortas de carne em apenas cinco minutos.

Quando Mimi Zhang era uma garotinha, as pessoas costumavam sussurrar sobre ela pelas costas.

Às vezes, nem era pelas costas.

“Ela não deveria comer tanto!” eles admoestariam sua mãe. “Ela deveria comer mais como uma menina!”

Felizmente, a mãe de Mimi deu pouca atenção, dizendo à filha que ela deveria simplesmente tentar ser exatamente quem ela é o tempo todo.

É uma lição que Mimi trouxe com ela, se mudando da China para a Austrália 10 anos atrás, e uma lição que ainda ressoa em seus ouvidos hoje – abafando as críticas de sua infância enquanto ela mastiga seu caminho pela cena de alimentação competitiva da Austrália, quebrando recordes.

Com um metro e setenta de altura, a pequenina Mimi “The Mini Monster” é a comedora competitiva número um da Austrália. Ela pode comer 16 cachorros-quentes em 10 minutos. Ela pode polir 200 bolinhos de uma vez. E como os apresentadores do podcast Eu Juro que Nunca do news.com.au descobriram, ela pode comer MUITOS cupcakes.

Mimi Zhang sempre teve um grande apetite.
Algumas pessoas desaprovam o quanto Mimi pode comer.

Embora Mimi sempre tenha conseguido guardar um monte de comida, foi só em 2019, quando ela viu um pôster de uma competição de comer panquecas no intervalo do almoço, que Mimi pensou em transformar sua paixão em um esporte.

“Eu já tinha almoçado”, Mimi ri, “mas ainda estava com fome. Eu senti vontade de comer algo doce, e então pensei – mmmm, panquecas!”

Por capricho, ela entrou no café, entrou na competição e terminou em segundo lugar. O vencedor, um comedor competitivo experiente, disse a Mimi que ela tinha verdadeiro talento e precisava começar a competir.

Recomendamos:  Caminhada de 15 minutos na floresta melhora a saúde e combate depressão

Intrigada, a fotógrafa e maquiadora seguiu seu conselho. Algumas semanas depois, ela não apenas quebrou o recorde feminino de comida de cachorro-quente na Austrália – ela o dobrou.

A partir de então, Mimi foi fisgada. Ela competiu em centenas de desafios alimentares desde aquele dia, ganhou uma quantia decente em prêmios em dinheiro e construiu uma sequência de sucesso no Instagram no processo.

No passado, ela comeu 16 cachorros-quentes em 10 minutos, terminou um bife de dois quilos em 10 minutos e uma vez comeu 10 tortas de carne em cinco minutos.

O tamanho pequeno de Mimi torna a quantidade que ela consegue comer ainda mais impressionante. Frequentemente competindo contra homens com o dobro de seu tamanho, Mimi é capaz de sobreviver e ultrapassar alguns competidores realmente assustadores – muitas vezes consumindo 15.000 calorias em uma sessão.

“Eu faço um ou dois desafios alimentares por semana”, diz Mimi, “e o resto do tempo eu como muito limpo – muita proteína, frutas frescas e vegetais. Eu também levanto pesos seis vezes por semana, durante duas ou três horas por dia.”

Mimi permanece magra malhando e comendo comida limpa quando não está competindo.

Com a sugestão de que alguns concorrentes podem não manter toda a comida no estômago após o término da competição, Mimi explica que isso é desaprovado na indústria – e ela nunca vomita por causa de muita comida.

“Uma vez cheguei perto – bebi seis litros de milkshake. Era muito doce e me senti mal, mas não vomitei”, diz ela.

A maioria das seguidoras é ótima, mas como mulher você tem muitos DMs assustadores – a maioria pessoas me pedindo para tirar uma foto da minha barriga depois de comer muita comida.”

Apesar dos fetiches, a mídia social provou ser o terreno fértil perfeito para comer ‘petiscos’ competitivos como Mimi. E há muito dinheiro a ser feito.

Recomendamos:  A vitamina D é muito importante, nunca fique muito tempo sem ela

Estima-se que o maior ganhador, Takeru Kobayashi, tenha um patrimônio líquido de US $3 milhões. Joey Chestnut, que detém o recorde mundial de comer 76 cachorros-quentes em 12 minutos, tem um valor estimado de quase US $2 milhões. Sem surpresa, Joey Chestnut também é o herói de Mimi.

“Eu gostaria de poder comer 76 cachorros-quentes em 10 minutos!” ela diz.

É um mundo fascinante. Muitos comedores competitivos têm literalmente milhões de fãs online. E quando você começa a assistir a alguns de seus desafios online, você entra em uma espécie de transe.

Em um mundo onde a maioria de nós fez dieta durante toda a vida, há algo tabu – quase ilícito – sobre assistir alguém engolir 10 pacotes de macarrão mi goreng ou comer 120 pedaços de sushi. Quanto a Mimi, ela avalia que sua popularidade se deve ao nosso amor pelos esportes.

“Eu vejo isso como um esporte como qualquer outro”, diz ela. “É emocionante assistir. Tem gente que gosta, mas tem quem também odeia, claro.”

Quanto a esses críticos – é difícil não entender o que eles querem dizer. Há algo quase obsceno sobre as pessoas literalmente enfiando comida na garganta quando as pessoas em todo o mundo estão morrendo de fome.

Muitas vezes é descrito como o máximo em privilégios ocidentais que deram errado – uma sociedade tão transbordando de excessos que transformamos o consumo em um esporte.

Mimi pode comer mais do que a maioria dos homens com o dobro de seu tamanho.
Seu apetite é quase ilimitado.

Há um lado decididamente sombrio no mundo da alimentação competitiva também.

O norte-americano Dana Hutchings, 41, morreu após se engasgar com a comida durante uma competição de comer taco. Uma mulher australiana de 60 anos morreu em 2020 durante uma competição de comer Lamington no Dia da Austrália.

Em 2007, uma mulher morreu de intoxicação por água após tentar ver quanta água ela poderia beber sem ter que ir ao banheiro para uma competição de estação de rádio.

Recomendamos:  Brasileiro transforma pneus velhos em lindas camas para cães e gatos de rua

Mimi, no entanto, minimiza os riscos. É um esporte, diz ela, e todo esporte tem seus próprios riscos.

“Cada esporte tem seus próprios perigos ou riscos”, diz ela. “Preciso assinar um termo de responsabilidade todas as vezes antes de uma competição. Já estou acostumada, mas entendo. Eu vou tomar cuidado.”

Dito isso, Mimi não tem intenção de desacelerar, com planos de viajar para os EUA – onde está o dinheiro grande – assim que as restrições na fronteira permitirem. Tendo liderado o jogo aqui na Austrália, Mimi suspeita que o céu é o limite no exterior.

Quando questionada sobre o que ela pensa sobre ela que a torna tão bem-sucedida no competitivo mundo da alimentação, Mimi é objetiva.

“Sou pequena e posso comer muito. Talvez eu seja apenas especial.”

Se você gostou dessa matéria, clique aqui e descubra mais informações e curiosidades. via: news.com.au

Gostou do artigo?

Toque nas estrelas para votar.

Média: / 5. Votos:

Até agora ninguém votou, vote você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais populares