Aprendi que coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo

832
frases-de-Nelson-Mandela

Esta frase, retirada da autobiografia “O longo caminho para a liberdade”, faz parte de outras centenas de frases de Nelson Mandela, ao longo de sua vida.

Rolihlahla Mandela, Nelson, Madiba, Tata, Khulu, Dalibhunga (todos os nomes de Mandela), nasceu em 18 de julho de 1918, na pequena vila de Mvezo no Distrito de O. R. Tambo, na África do Sul.

Aos 23 anos mudou-se para Joanesburgo, onde iniciou sua vida política, mas, ainda na faculdade, como co fundador da Liga da Juventude (CNA), Mandela já lutava em favor dos direitos humanitários.

Foi também nesta mesma época que Mandela tomou conhecimento da luta contra o apartheid, promovida pelo Congresso Nacional Africano (CNA), partido que ele veio a ser presidente em 1990 quando foi libertado da prisão.

Nelson Mandela foi condenado em 1964 sob a acusação de terrorismo, por sua luta contra o apartheid. É libertado em 1990 e em 1993 é condecorado com o prêmio Nobel da Paz.

A autobiografia “O longo caminho para a liberdade”, relata as suas diversas experiências de vida, desde a entrada na política, passando pelos anos em que viveu como fugitivo; as mais profundas experiências que viveu durante os anos em que passou na prisão e os momentos mais importantes da eleição que o levou a ser presidente da África do Sul em 1994, ano em que também foi lançada a sua autobiografia, de onde foi tirada a seguinte frase: 

“Aprendi que coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo”. (Da autobiografia “O longo caminho para a liberdade”, 1994).

Madiba foi o prisioneiro mais famoso do mundo e também o político mais galardoado em vida. Morreu em sua casa, no dia 5 de dezembro de 2013, devido a uma infecção pulmonar.

Esta é apenas uma das frases de Nelson Mandela e um resumo da história de um dos maiores seres humanos que já existiu. Vale a pena saber mais sobre ele e sobre as causas pelas quais lutava, pois, não se tratavam apenas de causas raciais, mas humanitárias.

<<< voltar ao início