Como encontrar mais significado em sua vida, de acordo com 5 pessoas que fizeram

Como encontrar mais significado em sua vida, de acordo com 5 pessoas que fizeram

Viver uma vida significativa pode ser diferente para todos, mas essas cinco pessoas incríveis descobriram que o que realmente importa é o impacto que temos sobre os outros.

1) Avanços mentais fazem toda a diferença

CORTESIA RAMIT SETHI

A mente é uma ferramenta poderosa – e reformular seus pensamentos pode mudar sua vida. Essa é a mensagem principal de Ramit Sethi, um especialista em finanças pessoais e autor, e o cérebro por trás de Iwillteachyoutoberich.com e Growthlab.com.

Sethi não está muito interessado em riqueza, embora grande parte de seu trabalho seja ostensivamente para aumentar a renda de alguém. O que importa para ele, disse à revista Fortune, é a mudança de comportamento – ajudar as pessoas a superar os bloqueios mentais para viver a vida que desejam.

Em uma postagem recente no Instagram, Sethi postou um comentário de um fã agradecendo a inspiração para contratar um personal trainer. Na legenda, Sethi comemorou o “avanço psicológico” de seu fã, uma frase que melhor resume uma das maneiras pelas quais Sethi encontra um grande propósito em seu trabalho.

Em um e-mail, ele disse à RD.com:

“Eu amo meu trabalho porque tenho um impacto sobre milhões de pessoas. Posso usar as coisas que aprendi na faculdade – tecnologia, psicologia – e aplicá-las para ajudar as pessoas a iniciar um negócio, encontrar o emprego dos sonhos e controlar suas finanças”.

Em sua vida cotidiana, ele experimenta um senso de propósito ao transmitir sua mensagem ao público que fazer o trabalho que você ama – e continuar a fazê-lo, não importa quanto dinheiro você ganhe – é o que pode levar a um significado.

Ele diz: “Eu costumava pensar que o significado vinha de um momento especial em que as trombetas estão tocando e a luz está brilhando sobre você. Agora acho que é sobre a pessoa que aparece todos os dias e dá o seu melhor.”

2) Conversas de qualidade são essenciais

CORTESIA DO DR. PATRICK ARBORE

A solidão pode invadir sua vida à medida que você envelhece, e é por isso que é bom encontrar maneiras de não ficar sozinho. Patrick Arbore, EdD, sabe disso e é por isso que valoriza conversas significativas.

Diretor e fundador dos Serviços de Prevenção e Luto Relacionados ao Suicídio de Idosos do Institute on Aging, Arbore, 69, fundou a The Friendship Line, uma linha direta 24 horas, cujos voluntários alcançam idosos solitários, deprimidos, isolados, frágeis e potencialmente suicidas.

Ele diz: “O que me traz alegria é quando posso ser o ouvinte quando alguém está com fome de conexão”.

Arbore se lembra de um homem em particular com quem ele tinha uma forte ligação. O homem estava se sentindo suicida aos 70 anos depois que sua esposa faleceu.

O homem falou com o Dr. Arbore e voluntários na Linha da Amizade em um estágio em que ele queria acabar com sua vida pulando de um telhado.

Depois de algum tempo, ele disse a Arbore: “Não estou mais pensando em suicídio porque as pessoas se importam comigo”. Arbore achou essa troca profunda. “Tudo o que fizemos foi expressar carinho e isso é muito significativo porque não é difícil de fazer”, diz ele.

“Nosso trabalho é realmente muito simples. Se você olhar para o denominador comum em todas as pessoas que estão sofrendo, isolado e solitário, é conexão e cuidado. Está dizendo ‘eu vejo você. Você existe.’”

3) Viva de acordo com sua alma

CORTESIA ANNA GENE ONEAL

Por meio de seu trabalho como CEO da Alive Hospice care no Tennessee, Anna-Gene O’Neal, 51, encontra a fragilidade da vida todos os dias. Ela diz: “é um espaço sagrado para estar com as pessoas no final de suas vidas”.

Momentos espiritualmente ricos são comuns em seu mundo e, às vezes, o pessoal se choca com o profissional, como no momento em que a sogra de O’Neal estava sob cuidados paliativos em uma das instalações da Alive.

Quando sua sogra deu seu último suspiro, O’Neal, junto com seu marido e filha, todos sentados ao lado de sua cama, experimentaram um poderoso lembrete espiritual.

A janela estava aberta na sala e quando a matriarca da família deu seu último suspiro, o vento soprou pela sala com uma rajada poderosa. Os três se entreolharam, cada um percebendo a força na sala.

Refletindo sobre o dia em que sua sogra foi aprovada, O’Neal diz: “Tudo em seu corpo mudou naquele ponto. O corpo se torna uma casca. Existe uma alma.”

Sabendo disso, ela tenta viver a vida lembrando-se do que chama de taxa de mortalidade de 100%.

Em sua própria vida, ela raramente deixa passar uma semana sem jantar com os amigos. Ela cozinha inúmeras panelas de pãezinhos de canela frescos para distribuir para a comunidade local.

Ela conta até cinco ou dez antes de responder aos outros. Ela respira mais profundamente.

Em seu trabalho, ela diz: “Não podemos mudar o resultado. Podemos trazer paz e conforto. Podemos ajudar as pessoas a definir o que desejam que seja seu legado. Podemos ajudá-los com os itens de sua lista de desejos.”

4) Tocar pessoas

CORTESIA DE HEATHER SAUNDERS PHOTOGRAPHY

Michael Genovese cresceu em uma fazenda de árvores de Natal. Agora ele administra a Summer Dreams Farm, uma fazenda de dálias em Michigan.

No Instagram e no Facebook, os amantes das flores se maravilham com suas imagens de campos de dálias coloridas que atraem borboletas, abelhas e visitantes de todos os lugares.

Seu trabalho parece um conto de fadas idílico (e, em muitos aspectos, é), mas a verdade é que ser um agricultor de flores é um trabalho árduo. Na maioria dos dias, Genovese levanta às 5h30 e trabalha do lado de fora às 7h (ele está no caminho certo, acordar cedo pode mudar sua vida.)

A essa hora, pode estar frio lá fora. Os campos podem estar sujos. Ele pode ser picado por abelhas. Quando ele estava apenas começando, ele se lembra de ter saído às 2 da manhã durante sua temporada movimentada com um farol aceso e coiotes uivando à distância.

No entanto, a satisfação e a importância do trabalho fazem com que tudo valha a pena, diz ele. “Posso sentar no final do dia e olhar para o campo e dizer: ‘Olha, eu fiz isso.’”

Genovese, 30, encontra significado em como suas flores influenciam a vida das pessoas. Uma vez por semana, ele vende dálias em um mercado de agricultores local.

Clientes anteriores costumam se aproximar dele para compartilhar fotos de como suas flores alegraram seus entes queridos. Eles podem compartilhar uma foto de um buquê de casamento que encomendaram dele ou flores que trouxeram para uma casa de repouso para enaltecer alguém. Genovese diz: “As flores são um produto emocional”.

5) Cuidar de crianças

CORTESIA JULIE DEROSSI

A natureza pode ser literalmente como um remédio para o cérebro, algo que Julie DeRossi conhece bem. DeRossi mora na Comunidade Monástica Starcross, na região agrícola costeira do Condado de Sonoma.

Ultimamente, ela tem acordado para ver o nascer do sol e se surpreende com a forma como a natureza continua a dar sentido. Conhecida como “Irmã Julie”, esta leiga de 70 anos medita todas as noites, mesmo enquanto cuida de suas oliveiras na propriedade (ela vende seu próprio azeite para sustentar a fazenda), interage com os hóspedes que visitam Starcross, ou trabalha na despensa de alimentos.

A meditação diária tem sido uma das maneiras pelas quais ela cumpre sua missão de “viver como se importasse”.

A irmã Julie e Starcross têm um longo legado de busca de significado, muitas vezes servindo ao próximo. Em 1988, a revista People escreveu sobre o trabalho de Starcross em ajudar as vítimas da AIDS.

Nos anos 90 e além, a irmã Julie defendeu as crianças afetadas pelo HIV em Uganda. Ela continua a manter contato com as crianças com quem trabalhou e valoriza sua amizade com eles.

Uma de suas experiências de vida mais significativas foi a adoção de sua filha, Tina, que ela descreve com grande alegria. A mãe de Tina estava com AIDS. Irmã Julie estava lá quando Tina nasceu. O HIV afetou sua coluna vertebral, de modo que suas pernas e pés não funcionavam direito, o que significava que a irmã Julie carregava Tina constantemente.

Ela disse: “Ela estava sempre nas minhas costas ou em um carrinho de bebê”. Tina morreu pouco antes de seu terceiro aniversário. Irmã Julie diz: “Aquele foi um dos períodos mais intensos da minha vida e valeu muito a pena. Eu não trocaria nenhuma parte disso.”

Foto de capa meramente ilustrativa: Foto de Miguel Bautista no Unsplash

Se você gostou dessa matéria, clique aqui e encontre mais informações e histórias inspiradoras. via: rd

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here