Como controlar a vontade de comer devido à ansiedade?

Como controlar a vontade de comer devido à ansiedade?

A comida é um estímulo muito agradável para todas as pessoas. Comemos não apenas para aliviar a fome, mas também é uma estratégia para aliviar o estresse. Neste último caso, comer por razões fisiológicas torna-se comer ansioso.

A ansiedade alimentar é um problema muito comum hoje em dia . Talvez seja um dos motivos que explicam que cada vez mais pessoas estão com sobrepeso e obesidade, pois se há algo que caracteriza esse fenômeno é o consumo de alimentos não saudáveis.

Aprender a controlar a vontade de comer devido à ansiedade é um ensino muito valioso, pois não é apenas um problema de saúde física, mas também mental. Aqui explicamos tudo o que há para saber sobre este assunto.

Discriminar as diferentes sensações

A sensação de fome fisiológica não é a mesma de quando surge a fome emocional. Se você aprender a diferenciar entre os dois, será mais fácil remediar assim que aparecer.

Primeiro, os desejos por comida surgem repentinamente e são experimentados como um desejo urgente de comer alimentos específicos, ou desejos.

Por outro lado, com a fome fisiológica é diferente; isso vai aparecendo aos poucos e qualquer alimento vale a pena para acalmá-lo.

Além disso, a percepção é diferente no corpo. Enquanto a fome emocional é sentida em todo o tronco – estômago, tórax e pescoço – a fome fisiológica é sentida apenas no estômago.

Aprenda outras maneiras de controlar o estresse

As causas da ansiedade ao comer estão sempre relacionadas a um estado de estresse contínuo ao longo do tempo. Portanto, aprender a controlar as emoções negativas de outras maneiras mais saudáveis ​​é a chave para superar essa condição.

A maneira mais simples, e uma das mais eficazes, é respirar fundo . Se você aumentar essas respirações imaginando coisas positivas ou simplesmente fechando os olhos para se desconectar da opressão, a eficácia aumenta notavelmente.

Este é apenas um exemplo, mas, na verdade qualquer técnica de relaxamento serve. Nesse sentido, e de acordo com um estudo publicado pela revista Techniques for Relaxation and Emotional Self-control, a prática de técnicas de relaxamento é uma estratégia muito útil para aumentar o autocontrole e reduzir o estresse.

Mantenha os desejos fora de alcance

Outra diferença entre fome emocional e fome fisiológica são os alimentos preferidos para satisfazê-la. Comer para ansiedade é caracterizado por uma preferência acentuada por alimentos ricos em açúcares e gorduras.

O motivo que explicaria isso é que esse tipo de alimento ativa o sistema de recompensa no cérebro, o mesmo que é ativado por qualquer estímulo agradável, como música, sexo ou vícios.

Ao ativar o sistema de recompensa, são gerados sentimentos de felicidade e bem-estar, de modo que o comportamento é reforçado e tende a se repetir no futuro.

Portanto, uma solução para não ter o reforço dos alimentos é justamente evitar dar essas recompensas ao corpo. Isso pode ser conseguido não comprando os alimentos ou, se os tiver, escondendo-os em locais de difícil acesso. Quanto mais caro for um comportamento para a pessoa, menos provável que aconteça.

Estabeleça rotinas em torno dos horários das refeições

O corpo humano é muito sensível aos hábitos. O organismo se acostuma facilmente às regularidades e, uma vez estabelecido, é difícil quebrar a tendência ao hábito.

No caso das refeições, acontece o mesmo. O corpo se acostuma com certos horários e, quando a hora de comer se aproxima, processos são acionados para estimular o apetite.

Tudo isso significa que se o seu estômago se acostuma a comer em horários determinados, é mais provável que você sinta fome apenas nessa hora e não indiscriminadamente durante o dia. Pelo contrário, não ter horário regular tem o efeito contrário, o estômago pede comida a qualquer hora.

É possível controlar a ansiedade comendo

A vontade de comer devido à ansiedade é um problema psicológico que afeta muitas pessoas, mas a maioria delas não é capaz de reconhecê-lo.

As semelhanças com a fome fisiológica e a incapacidade de reconhecer as emoções são fatores determinantes que influenciam no aparecimento desta condição.

Felizmente, é possível tratá-la e deixar de representar uma ameaça à saúde, mas isso requer motivação e compromisso com a mudança. Também é muito útil ter a opinião de um nutricionista para que a intervenção seja o mais completa possível.

Lembre-se de que qualquer investimento que você fizer em saúde será uma qualidade de vida conquistada.

Foto de Fares Hamouche no Unsplash

Se você gostou dessa matéria, clique aqui e encontre mais informações e dicas valiosas. via: mejorconsalud

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here